Arquivo da Categoria: poesia portuguesa

Sophia em dia de sol, de mar e de eleições

LIBERDADE Aqui nesta praia onde Não há nenhum vestígio de impureza, Aqui onde há somente Ondas tombando ininterruptamente, Puro espaço e lúcida unidade, Aqui o tempo apaixonadamente Encontra a própria liberdade. Mar Novo, 1958 http://www.coloquiointernacionalsophiademellobreynerandresen.com/

Publicado em poesia portuguesa | Etiquetas | Publicar um comentário